CIC-BG e Ceran consolidam parcerias que engrandecem a comunidade

Negócios

Negócios
standard image post

Nome recorrente entre os patrocinadores de eventos e ações sociais na região, a Companhia Energética Rio das Antas (Ceran) tem, cada vez mais, estreitado os laços com as comunidades onde está inserida. Uma das principais razões está amparada na política da empresa, que acredita na responsabilidade social como fator de desenvolvimento regional.

Por meio de projetos que se beneficiam das leis de incentivo fiscal, como prevê a legislação brasileira, a Ceran tem auxiliado eventos como a ExpoBento, promovida pelo Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), e ampliado ações sociais de diversas entidades nos oito municípios de abrangência da companhia. “Parte do imposto que pagaríamos ao governo, investimos nas comunidades. Fizemos isso de forma voluntária, pois entendemos como uma forma de exercermos nossa função social”, diz a coordenadora de projetos da Ceran, Daniela Toller da Rocha.

A partir desta política da empresa, o CIC-BG tem estimulado instituições da cidade a inscreverem projetos em áreas da saúde e do desenvolvimento de ações voltadas a adolescentes e idosos, por exemplo. “É importante que saibamos utilizar os mecanismos existentes na sociedade a fim de fomentar ações que aumentem a qualidade de vida de nossa população”, comenta o presidente da entidade, Elton Paulo Gialdi. Ele refere-se, por exemplo, a projetos que podem ser inscritos para serem contemplados por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), do Fundo para Infância e Adolescência ou do Fundo Nacional do Idoso, com a participação e o aval do Conselho Municipal do Idoso (Comui) e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica).

Todas empresas que fazem declaração de imposto de renda por lucro real podem destinar parte dos recursos que iriam para o governo em iniciativas de cunho social. “As empresas não estão dando um dinheiro a mais, é o mesmo dinheiro do imposto que vai para o governo, ou melhor, uma pequena parte dele e que faz uma grande diferença na vida social da cidade, ajudando-a também a se desenvolver plenamente. Neste sentido, empresas como a Ceran mostram um verdadeiro cuidado com as causas regionais”, considera Gialdi. 

Somente no ano passado, a Ceran investiu quase R$ 2 milhões em projetos dos mais variados segmentos. Grande parte dos recursos é oriunda de valores dedutíveis do imposto de renda, mas a Ceran também disponibiliza um montante corporativo para as iniciativas, que em 2018 foi de R$ 42,9 mil.

Apenas projetos de pessoas jurídicas estão aptos a serem analisados pela Ceran. Eles precisam atender há alguns requisitos, como serem desenvolvidos nos municípios do entorno das usinas Castro Alves, Monte Claro e 14 de Julho – Bento Gonçalves, Cotiporã, Veranópolis, Nova Roma do sul, Antônio Prado, Nova Pádua, Flores da Cunha e Pinto Bandeira. E, além de gerarem benefícios a essas comunidades, precisam estar ligados às áreas de educação, de agregação de renda, de saúde, segurança e meio ambiente, de desenvolvimento de crianças, adolescentes e idosos, de incentivo à prática do esporte e de desenvolvimento da cultura.

As inscrições estão abertas o ano todo, e podem ser feitas por meio do Portal Social, sistema online de cadastramento de projetos implantado pela Ceran. O acesso é realizado através do site www.ceran.com.br, na aba "Institucional" – "Projetos Sociais", clicando no link "Cadastre o Seu Projeto Social". Então, é preciso cadastrar, primeiramente, os dados da instituição e, após, os dados do projeto. “É tudo automático, o sistema gera automaticamente logins e senhas, bem como envia e-mails informativos aos proponentes a cada alteração ou solicitação que incluímos no sistema”, explica Daniela.

Contudo, o proponente deve prestar atenção às datas de execução do seu projeto. Apesar de poder inscrevê-lo a qualquer hora, está restrito às reuniões de aprovação de projetos, que ocorrem, habitualmente, duas vezes ao ano. “Se cadastrar o projeto após ocorrer a reunião e sua execução for antes da próxima reunião, não haverá tempo hábil de realizarmos a análise e darmos o retorno pela aprovação ou não”, comenta.


Foto: Vice Diretor de Projetos da ExpoBento 2019, Adelgides Stefenon, diretor geral da ExpoBento 2020, Gilberto Durante, Coordenadora de projetos da Ceran, Daniela Toller da Rocha, coordenador geral da 16ª Fenavinho, Diego Bertolini, e Diretor de Projetos da ExpoBento 2019, César Anderle, celebrando o sucesso da parceria

Crédito: Divulgação CIC-BG