Boneco-símbolo da Fenavinho, Tasta Vin ressurge para divulgar a festa

Estilo

Estilo
standard image post

Um boneco do deus Baco fanfarrão, bonachão e, claro, provador de vinho, tem sido uma das estrelas da retomada da Festa Nacional do Vinho. Figura recorrente nos pré-eventos da Fenavinho, o Tasta Vin ocupa lugar cativo na equipe de divulgação e animação do encontro que volta a movimentar Bento Gonçalves entre os dias 13 e 23 de junho, de forma integrada a ExpoBento, depois de oito anos de ausência do calendário de eventos da cidade.

O boneco, hoje símbolo da festa, apareceu pela primeira vez na Fenavinho de 1991 – uma das três edições presididas por Jovino Nolasco (in memorian), que realizou o evento de forma anual entre 1990 e 1992. Sua origem atendia a intenção de criar um ícone definitivo para a festa. “Foi um marco para a história da Fenavinho”, lembra o advogado Adroaldo Dal Mass, membro daquela diretoria.

Realmente, a concepção do boneco causou comoção na cidade, resgatando aquele que talvez seja seu maior legado e fator central na construção da emblemática primeira edição, em 1967: o envolvimento comunitário. O projeto Fenavinho Criança, lançado com o intuito de preservar as raízes da Fenavinho, teve como ponto alto um concurso envolvendo 12 mil estudantes da cidade para nominar aquele que viria a ser o símbolo da festa.

O vencedor foi o estudante Marciano Menegotto, à época aluno do Colégio Estadual de 1º Grau Angelo Salton, de Tuiuty. Hoje produtor de uvas, Menegotto escolheu o nome Tasta Vin – “provador de vinho” – para batizar o recém-criado boneco. "Lembrei do meu avô, que falava isso quando ia ao porão para provar vinho e resolvi sugerir esse nome, tasta vin", diz o agricultor, 40 anos. "Fiquei muito feliz quando soube, porque não imaginava vencer um concurso com tantos participantes".

Frequentador da Fenavinho, Menegotto exalta o retorno da festa – e também do boneco. "Ele estava meio sumido, que bom que reapareceu", comenta o agricultor, dizendo que a festa precisa do apoio de todos. "Precisa mais ajuda, mais incentivo, mais cantinas para divulgar o produto, o município, o consumo de vinho, daí teremos futuro", opina.

Os traços do boneco foram criados pelo desenhista gaúcho Otto Guerra – nome referencial na animação brasileira, reconhecido por trabalhos tanto para o mercado publicitário quanto para o cinema, dirigindo filmes como “Até que a Sbórnia nos Separe” –, a partir da estilização do deus Baco com os traços de um italiano alegre. 

Otto fez parte, também, da produção do antológico VT publicitário para a festa de 1991. “Foi um trabalho custoso”, lembra o desenhista, sobre as condições rudimentares de trabalho, se comparadas aos dias de hoje. “Fizemos o desenho do Baco, a animação toda e a trucagem de aplicar em filme da imagem real, em 35mm. Não tinha ainda computador disponível para isso. Foram dois comerciais, para a Fenavinho 1991 e depois fizemos uma nova versão para a de 1992. Foi um sucesso à época”, recorda o desenhista sobre o comercial gravado na Aurora 2, antiga Dreher, no qual o Tasta Vin em desenho interagia com pessoas. 

A propaganda foi bem recebida não apenas pelo público. Também alcançou sucesso de crítica, sendo premiada num concurso internacional em Foz do Iguaçu (PR) e tendo seu jingle escolhido como o melhor no mesmo concurso.

Quem quiser conferir de perto a animação do Tasta Vin pode se programar para visitar a 16ª Fenavinho, que ocorre de 13 a 23 de junho, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, juntamente com a ExpoBento, maior feira multissetorial do país. Ali será possível adquirir, também, uma inédita miniatura do personagem, como souvenir do símbolo ícone da Festa Nacional do Vinho.