A ABIMÓVEL ALERTA AS AUTORIDADES PARA O RISCO DE COLAPSO DAS ATIVIDADES ESSENCIAIS

Negócios

Negócios
standard image post

A pandemia causada pelo novo COVID-19 espalhou-se pelo mundo e chegou ao Brasil, provocando mudanças drásticas na rotina de todos. Diante desse contexto, a ABIMÓVEL –Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário está bastante apreensiva com o cenário que se descortina, em virtude da abrupta parada da atividade econômica de inúmeras cadeias produtivas o que impede a chegada de insumos, equipamentos, produtos, serviços, dentre outros, e afeta o abastecimento de atividades essenciais. Não podemos negligenciar o fato de que na área da saúde o oxigênio e as medicações precisam chegar aos hospitais, os transportadores necessitam se alimentar, os serviços essenciais precisam estar operando, enfim, a economia precisa reagir.

Muitos brasileiros estão sem fonte de renda, outros tantos estão com suas atividades inviabilizadas e muitos poderão perder suas ocupações. Um cenário grave, que nenhum brasileiro pretende que se instaure.

A necessária arrecadação para atender a demanda emergencial da saúde pública vai se exaurir rapidamente e teremos de lidar com trabalhadores sem salários no auge da crise. A safra precisa ser colhida e escoada, a comida precisa chegar aos lares dos brasileiros, os equipamentos médicos precisam estar funcionando para atender aos pacientes e os cidadãos precisam de renda para fazer frente às necessidades básicas de suas famílias. Portanto, manter a economia funcionando também é um esforço que visa preservar (e viabilizar) vidas!

Nesse sentido, devemos repensar a estratégia de atuação, antes que os recursos se esgotem e que a falta do essencial provoque perdas humanas ainda maiores. Para combater a pandemia, precisamos de uma abordagem cuidadosa e criteriosa, adotando o isolamento vertical e retomando as atividades econômicas, como prega a Organização Mundial da Saúde. Manter os idosos e grupo de risco em isolamento, cumprir as orientações dos cuidados individuais, evitar aglomeração e incentivar a alternância do horário de início e término dos expedientes, promovendo rodízio e escala de funcionários são providências necessárias e imediatas a serem tomadas.

O Brasil precisa avançar, com serenidade e responsabilidade. A ABIMÓVEL defende que haja um plano para a retomada das atividades a partir da primeira semana do mês de abril.

Todos nós estamos imbuídos dos mesmos propósitos. Precisamos, agora, estar alinhados com os mesmos encaminhamentos e decisões. Juntos e organizados superaremos este momento.

Afinal, a nossa bandeira é o BRASIL !


São Paulo, 26 de março de 2020.

page2image1820416

Maristela Cusin Longhi Presidente da Abimóvel