Tacchini já incluiu 6 pacientes ambulatoriais no Coalizão V

Vida

Vida
standard image post
Em uma semana, o Instituto Tacchini de Pesquisa em Saúde (ITPS) incluiu 6 pacientes no estudo Coalizão V, pesquisa multicêntrica que tem como objetivo avaliar se a hidroxicloroquina pode reduzir hospitalização e complicações respiratórias em pacientes com Coronavírus que não estiveram internados ou requeiram internação. 

Do total de pacientes inclusos, 4 deram entrada via Pronto Socorro do Hospital Tacchini e outros 2 via Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bento Gonçalves. O Hospital São Roque, de Carlos Barbosa, também está habilitado para encaminhar pessoas ao estudo. 

Para participar da pesquisa é  preciso preencher alguns pré-requisitos: ter mais de 18 anos, manifestar sintomas leves de COVID-19 há pelo menos 7 dias e apresentar pelo menos um fator de risco para complicação da doença, como hipertensão, diabetes, asma, tabagismo, imunossupressão, pneumonia crônica, obesidade ou idade acima de 65.  

Coordenado pelo Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o Colizão V avalia o benefício da utilização de hidroxicloroquina em 1300 pacientes ambulatoriais em 35 centros de saúde de todo Brasil. Destes, 650 devem receber o remédio e outros 650 recebem placebo. A intenção é que o estudo publique seus primeiros resultados em dois meses. 

Coalizão I e II

Concluídos há duas semanas, os estudos Coalizão I e II ainda aguardam a divulgação dos resultados pelos hospitais coordenadores: HCor e Albert Einstein, respectivamente. Nos dois primeiros estudos, participaram 25 pacientes dos hospitais do Tacchini Sistema de Saúde. 

No Coalizão I, avaliação que envolveu pacientes de menor gravidade internados por COVID-19, a instituição incluiu 18 casos em um total de 630 analisados em todo Brasil, concluindo o estudo como o 11º maior recrutador do país. 
 
Já o Coalizão II envolveu a administração de casos mais graves, que necessitam de maior suporte respiratório. Nesta, 7 pacientes do Tacchini receberam hidroxicloroquina, com o objetivo de verificar se a azitromicina tem efeito benéfico adicional. No total foram avaliados 440 pacientes de todo Brasil, fazendo da instituição da serra gaúcha a 13ª maior recrutadora.

FOTO: Alexandre Brusa

Alexandre Brusamarello
Assessoria de Comunicação Hospital Tacchini
(54) 3455.4333

 

assinatura email.png