Líder de si | por Marciele Scarton / Mentora de Mulheres

Negócios

Negócios
standard image post

Valorize suas conquistas

 

Olá, muito prazer, eu sou Marciele Scarton, criadora do método de Realização Feminina, pelo qual conduzo mulheres como você a atingirem seus objetivos, a realizarem mais com equilíbrio e leveza.

É uma alegria estar aqui na sua companhia, estreando essa coluna que tem o propósito de lhe incentivar a ser líder de si mesma, fazendo de suas escolhas e ações cada vez mais conscientes e alinhadas com quem você realmente é.

Este será um espaço para evidenciar quem somos e o que desejamos nós, mulheres, na diversidade de papéis que desempenhamos. E, por essa multipotencialidade feminina, essa coluna não será fixa em uma editoria, irá transitar entre as seções de Vida, Casa, Negócios e Estilo, afinal, hoje ocupamos todos os espaços. Mas nem sempre foi assim. Por isso, gostaria de começar contando a história que, inclusive, é responsável por eu estar aqui hoje, falando com você.  A história de uma mulher que nunca sentou à mesa para fazer as refeições. Consegue imaginar?  Ela se alimentava sempre depois de servir os homens, em pé, num canto mais afastado da cozinha. Uma mulher que teria idade para ser nossa avó.

Eu tive contato com essa história, enquanto jornalista (minha formação original), em 2013, durante a produção do livro Mulheres do Interior. Nesse trabalho, minha colega, Fernanda Tomasi, e eu, entrevistamos 27 mulheres com idades entre 50 e 96 anos, mostrando por meio dos relatos delas um panorama da evolução da mulher nos últimos 60 anos. O que era para ser apenas mais um trabalho, mudou o curso de minha carreira.

Esse contato com comoventes histórias reais das mulheres do passado, transformou de tal forma minha visão sobre o universo feminino e minha postura como mulher, que eu reuni esse aprendizado em um palestra chamada “Na Cabeceira da Mesa: Mulheres Felizes Valorizam suas  Conquistas”.   Nessas apresentações, a partir de 2016, usei esse lugar  - a ponta, a cabeceira da mesa -  por muito tempo exclusivo dos homens, como uma metáfora da liderança feminina conquistada, afinal, hoje é um posto que ocupamos com propriedade e naturalidade, tanto em casa quanto no trabalho.

Mas o que fez chegar até mim pedidos de mulheres para que eu as guiasse a implementar mudanças em suas vidas, tornando-me coach e mentora, foi uma reflexão mais profunda. Se estamos nessa posição tão superior à mulher de outros tempos por que, muitas vezes, nos encontramos descontentes, desconfortáveis com diversos aspectos de nossa vida? Não raras vezes nos sentimos cansadas, estressadas, ansiosas. Comecei a me perguntar o porquê da insatisfação feminina durante a produção do livro ao observar a minha rotina e das mulheres de meu convívio. Foi quando percebi que, apesar de nos considerarmos tão evoluídas em relação às mulheres do passado, nós temos algo em comum.

Em minha análise dos relatos, sete questões se destacaram como aspectos que, para as mulheres do passado, eram direitos negados ou sequer passavam em suas cabeças, enquanto para nós são tão naturais quanto respirar. No entanto, apesar de termos essas questões conquistadas, estamos deixando elas de lado. O ritmo acelerado de nossos dias, as tarefas que nos engolem, a falta de tempo, outras vezes de dinheiro, ou de apoio, enfim, a formatação que estamos dando para nossa vida, está nos impedindo de desfrutá-las. As mulheres do passado não desfrutavam dessas questões, porque não podiam; nós porque, sem nos darmos conta, estamos abrindo mão delas. Isso nos aproxima e é disruptivo, pois acredito, você vai concordar: não podemos admitir viver, nesse sentido, de forma tão retrógrada.

Foi dessa percepção que eu passei a falar com as mulheres, incentivando-as a virarem o jogo, priorizarem e praticarem essas sete conquistas.  E a identificação das mulheres com essa abordagem fez chegar a mim o pedido delas para que eu as auxiliasse a implementar, efetivamente, isso em suas vidas. Diante dessa demanda, passei a me dedicar de forma autodidata ao estudo e aprendizado de temas do desenvolvimento pessoal e do universo feminino e também obtive sólida formação nesta área, tornando-me Coach Criacional pelo IGT International Coaching (Instituto Geronimo Theml) em Vitória/ES. Pela mesma instituição, tenho especialização em Perfil Comportamental, Coaching de Carreira, Executive Coaching e Leader Coaching.

Assim, a partir de 2019, passei a prestar atendimentos individuais  e em grupo  às mulheres - em trabalho inédito - com método direcionado à integração das setes conquistas na vida da mulher. Elas estão associadas a importantes objetivos que nós, mulheres, temos, e por isso eu as considero a fórmula da Realização Feminina. Você pode conferir na tabela abaixo.

 

A conquista

O que confere para a mulher

O direito de desejar

Clareza do que quer

A liberdade para agir conforme suas vontades

Coragem para agir

Independência

Poder interno e externo  (empoderamento)

Direito de desfrutar de facilidades e praticidades

Produtividade e alta performance

Valorizar e expressar a sua beleza

Autoestima

Vivenciar o equilíbrio

Equilíbrio ao conciliar diferentes papéis

Praticar a sua espiritualidade sem imposições

Leveza

 

Bem, nessa primeira conversa, esse é meu convite: que você esteja comigo toda semana, para juntas valorizarmos e praticarmos em nossas vidas essas conquistas, pois sempre estarei falando, de alguma forma, delas por aqui. Muitas vezes abordarei as conquistas costurando com histórias do passado, outras  vezes trazendo exemplos das mulheres que já atendi, outras por meio de minhas observações do cotidiano. De um modo ou de outro, sempre haverá pílulas para que você coloque em prática e se beneficie do que cada uma dessas conquistas confere para nós. Então, se você deseja ter clareza, mais coragem, empoderamento, melhorar sua produtividade, ampliar sua autoestima, desfrutar de equilíbrio e leveza, lhe espero por aqui, sempre às segundas.

 Até o nosso próximo encontro, comenta aqui, qual ou quais dessas conquistas você sente mais necessidade de ampliar na sua vida? Vou adorar saber, pra escrever mais sobre elas.