Um Novo Olhar | A paz por Melissa Poletto

Estilo

Estilo
standard image post

Uma busca rápida ao dicionário e definimos a paz como: "uma relação entre pessoas que não estão em conflito; acordo, concórdia". Sinto que a minha visão de paz vai um pouco além deste significado.

Este é o ponto de partida deste texto. Hoje vou falar sobre a paz.

Lembro que quando eu era pequena, lá pelos meus 4 a 6 anos, eu era braba, me aborrecia facilmente com as brincadeiras de meus irmãos. Lembro de episódios na casa da minha avó, onde eles pegavam minhas bonecas e aprontavam com elas só para me verem brava. Coisa de criança e de irmãos. E lembro da minha avó falando em dialeto italiano, que não vou conseguir escrever, mas que traduzindo era: deixem ela em paz.”

Hoje, na fase adulta, vejo o quanto essa frase tomou um grande significado na minha vida.

A paz de estar bem com a realidade em que estamos inseridos começa em aceitar a realidade tal como ela é. Se formos olhar para o conceito do dicionário, acredito que nunca vivi um mundo tão polarizado. Conflituoso em diferentes esferas. A pandemia trouxe à tona o poder de pertencimento de grupos, o que chamamos nas leis sistêmicas de consciência coletiva, e, claro, junto desta visão, a polarização. E no meu ponto de vista, ela traz a discórdia, que é a viés contrária da paz.

Sempre procuro praticar a frase de Bert Hellinger:no centro sentimos leveza.” Mas é como uma filosofia de vida. Vou explanar um pouco sobre ela. Quando eu escolho um lado da gangorra, na maioria das vezes eu julgo que o outro lado está errado. Portanto, esta é a filosofia de "no centro sentimos leveza".

Mas, Melissa, então quer dizer que eu não posso ter opinião sobre o que está acontecendo no mundo, com as pessoas e com a situação de meu país? Claro que não! Eu mesma tenho opinião sobre tudo isso, mas me mantenho no centro. Dou minha opinião quando acho que trará reflexões relevantes, ou, ainda, quando me é solicitada. Fora isso, não vejo necessidade de manifestar minha opinião. E quando faço, respeito o meu contexto, isto é, respeito o meu olhar sobre aquele tema de tal forma, que quem vier com a opinião contrária eu também irei respeitar e não deixarei que isso me afete. E sabe por quê? Porque aquela pessoa possui o contexto dela, e está tudo bem.

Neste lugar, no centro, é onde encontrei a minha paz. Ali compreendi que eu não sou uma folha em branco e, assim como eu, ninguém é. Portanto, todos possuem contextos para definirem sobre suas opiniões em relação a diferentes temas, principalmente os mais conflituosos. Isso sem falar na consciência coletiva que atua fortemente sobre o grupo. De forma sucinta: muitas pessoas possuem no seu sistema familiar situações e realidades que as levam a pertencer a grupos através da coletividade. O próprio movimento nazista possuía essa força. Portanto, essas bandeiras alteadas possuem lá na raiz uma força inconsciente, que pode pender para qualquer lado da gangorra. Por isso, diariamente, eu escolho o caminho de tomar minha consciência através das minhas raízes.

Outra questão da paz é lidar com a realidade como ela é. Sem colocar o "mas e se"? E se o presidente tivesse feito isso ou aquilo? E se as pessoas mantivessem o distanciamento? E se a minha mãe ou o meu pai tivessem me proporcionado outra realidade? E se meu marido ou esposa falasse comigo diferente? Nenhum desses e outros e se” vão mudar a realidade, compreendem? Por este motivo, se você quiser encontrar a paz, lide com a realidade como ela é. E, para isso, temos que aceitar que a situação hoje é esta. A grande questão é: o que eu estou fazendo para melhorar a minha realidade e a da minha família? Eu estou fazendo a minha parte em empreender, gerar empregos, ajudar a empresas prosperarem através de meu trabalho, ajudar pessoas a destravarem suas mentes para conquistarem sua melhor versão. Sinto que é nisso que eu tenho real poder de ação. E isso sim me traz paz.

E aqui, agora, estou falando de outra paz, aquela que não está no dicionário, aquela que é interna. Que só você pode produzir e fazer acontecer. Afirmo para você: quando encontrar esta forma de produzir a sua paz, nunca mais vai se preocupar com a do dicionário. Pelo fato de você estar em paz com as suas escolhas, você deixa os outros em paz. É um amor profundo conseguir deixar os outros em paz.

Sabe aquele seu (ex)companheir@, pois é, deixa ele em paz. Abençoa a vida del@! Deixe que siga e guarde um lugar em seu coração.

Sabe aquele chefe que você odiou por muito tempo? Deixe-o em paz! Por causa dele, você se tornou a pessoa que é hoje. Agradeça e siga, deixando-o em paz.

Sabe aquele ente querido que partiu? Passado o devido tempo, aprenda a deixá-lo em paz! Não fique o solicitando a todo o momento. Aceite que o tempo que vocês tiveram juntos foi o suficiente. Diga a ele que já recebeu o suficiente e que, agora, você o deixa em paz!

A sua paz começa quando você deixa os outros em paz!